Search results for:
No result found! Try with different keywords!
Users
Organizers
Events

VOA 2019

Advertisement

VOA 2019


ARCH ENEMY e THORMENTHOR encerram o cartaz do VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL.

ARCH ENEMY são a mais recente confirmação internacional na decima edição do VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL, que se realiza este ano no Estádio do Restelo, em Lisboa. O conceituado projeto sueco junta-se aos já anunciados SLIPKNOT e SLAYER, cabeças de cartaz do evento nos dias 4 e 5 de Julho, respetivamente, assim como aos LAMB OF GOD, TRIVIUM, GOJIRA, WHILE SHE SLEEPS e CANE HILL. Depois do memorável concerto em 2012, quando o festival ainda se realizava em Vagos, a banda regressa agora com Alissa White-Gluz atrás do microfone, para apresentar o seu mais recente trabalho, «Covered In Blood», uma explosiva coleção de versões que sucedeu ao muito aplaudido «Will To Power», de 2017.

VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL contará ainda com alguns dos maiores nomes do metal português como MOONSPELL, WAKO e RASGO, aos quais se juntam agora THORMENTHOR num inesperado regresso aos palcos com a formação que gravou a estreia «Abstract Divinity». Um muito desejado retorno, por parte de um clássico de culto do underground dos anos 90, que vai certamente tornar estes dois dias de concertos ainda mais inesquecíveis.

Os ARCH ENEMY cresceram exponencialmente quando, num momento de génio, Michael Amott decidiu contratar Angela Gossow para substituir Johan Liiva antes da gravação de «Wages Of Sin». Depois, quando Gossow abandonou o projeto, o guitarrista e estratega da banda não demorou a encontrar uma escapatória para uma situação que, para um músico com menos visão, poderia ter sido fatal. Mais de duas décadas, onze álbuns, reconhecimento em larga escala e incontáveis voltas ao globo depois, «Will To Power» (de 2017) provou que o grupo – que conta hoje também com Jeff Loomis, ex-Nevermore, como guitarrista – continua tão (ou ainda mais) motivado e inspirado. Com a muito versátil Alissa White-Gluz a comandar os procedimentos com punho de ferro, passaram os últimos anos a mostrá-lo, perante plateias totalmente esgotadas na Europa, nos Estados Unidos, na Ásia e no Japão.

Formados em Almada, em 1987, os THORMENTHOR foram pioneiros da fusão death e black metal em Portugal e ganharam popularidade no underground com as três maquetes que editaram até 1989. Em 1991 viram os seus esforços compensados com a edição do single «Dissolved In Absurd» e com participações nas coletâneas «The Birth Of A Tragedy» e «Mortuary Vol.» e em 1994 editaram o álbum de estreia, «Abstract Divinity». É aí que solidificam a sua formação “clássica”, composta Miguel Fonseca, Pedro Quaresma, João Paulo Dias e Pedro Campos. Não muito tempo depois, mantendo a mesma formação, o grupo acabaria por transformar-se em MOFO, deixando uma marca indelével no mapa do underground dos 90s, que se foi intensificando durante os anos seguintes. Os músicos foram vendo o culto à sua volta aumentar e, mais de duas décadas depois, reaparecem no palco do VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL para um concerto muito especial.

Três anos depois de terem abanado a estrutura do Hard Club, no Porto, os irredutíveis gauleses liderados pelos carismáticos irmãos Joe e Mario Duplantier, vão subir ao palco do VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL. Quase vinte anos de carreira e cinco álbuns depois de terem dado os primeiros passos, não há mesmo como negá-lo: os GOJIRA tornaram-se um dos nomes mais emblemáticos e reverenciados de que há memória durante a última década no espectro da música extrema. Apoiado numa forte mensagem ecológica, não só extremamente relevante como singular no género em que se inserem, o quarteto francês já provou ser capaz de escrever música com potencial para agradar a uma ampla faixa de fãs. É por isso que, misturando as raízes underground com um apelo mainstream que já levou os levou a todos os grandes eventos do género, se afirmam hoje como uma das bandas mais universalmente aplaudidas por uma legião transversal de seguidores.

Ainda no rescaldo do bem sucedido «1755», que marcou o primeiro registo conceptual e totalmente cantado em português da sua carreira, os MOONSPELL aterram em estado de graça na décima edição do VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL. Por esta altura já ninguém se atreve a questionar a validade da mais internacional das bandas portuguesas, mas se dúvidas restassem, o disco de 2017, tratou de desvanecê-las, coadjuvado por uma apoteótica tour de comemoração do primeiro quarto de século de carreira. Depois de ter corrido o mundo para tocar em salas esgotadas um pouco por todo o lado, a banda de Fernando Ribeiro, Pedro Paixão, Ricardo Amorim, Aires Pereira e Mike Gaspar regressa a Lisboa para tocar pela primeira vez no Estádio do Restelo, a casa d'Os Belenenses, que comemoram em 2019 o centenário do clube.

Inspirando-se em Pantera, Slipknot e Marilyn Manson, os CANE HILL vêm do profícuo cenário underground de New Orleans e juntaram-se em 2011, tendo lançado um EP de estreia quatro anos depois. Em 2016, já com alguma curiosidade à volta do nome, editam então o primeiro álbum, intitulado «Smile». Se o EP de 2015 se tinha revelado um registo tecnicamente proficiente, mas com influências descaradas de Dope ou Mudvayne, em «Smile» os músicos liderados pelo vocalista Elijah Witt seguiram uma abordagem mais industrial, reminiscente de nomes como Rob Zombie e Static-X, tudo condimentado por uma estética muito própria do shock rock. O segundo álbum, «Too Far Gone» foi editado a 19 de Janeiro de 2018 e permitiu-lhes fazerem as primeiras digressões em nome próprio. Agora, a estreia em Portugal, no VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL, é aguardada com expectativa redobrada.

Os TRIVIUM tiveram as honras de encerramento da edição de 2017 do VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL, perante uma plateia rendida, e regressam em 2019. O coletivo norte-americano formado em 2003 e liderado por Matt Heafy, vocalista e prodígio da guitarra, tem trilhado o caminho aberto por ícones como Metallica ou Iron Maiden, encontrando-se entre as propostas mais seguras do metal contemporâneo influenciado pela velha-guarda. A prová-lo está o sucesso atingido pelos oito álbuns de estúdio, contabilizando mais de um milhão de discos vendidos, e mais de vinte singles editados. O último LP, «The Sin And The Sentence» (2017), marcou a estreia da banda com o baterista Alex Bent e um regresso de Matt Heafy às vozes gritadas, totalmente ausentes no predecessor «Silence In The Snow».

De volta a Portugal, mas pela primeira vez no VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL, estão os WHILE SHE SLEEPS. Após espetáculos bem sucedidos, em Janeiro de 2018, no Porto, Lisboa e Loulé, a banda de Sheffield promete elevar a temperatura no Estádio do Restelo com o seu metalcore musculado e pejado de refrões para cantar em uníssono. Misturando a força do hardcore com o peso do metal, mas evitando os clichés do deathcore genérico, o quinteto constituído por Lawrence Taylor na voz, Sean Long e Mat Welsh nas guitarras, Aaran McKenzie no baixo e Adam Savage na bateria, integra o catálogo da SharpTone e editou desde 2010 um EP e três álbuns, tendo recolhido um galardão para Melhor Novo Talento Britânico nos Kerrang! Awards de 2012.

WAKO e RASGO são os primeiros representantes anunciados do movimento de peso nacional no VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL. Formados em 2001, WAKO ensaiaram logo no início a internacionalização no Reino Unido e do outro lado do Atlântico. Desde então não pararam de lutar para se estabelecerem como uma das mais respeitadas bandas portuguesas de metal moderno, com dois álbuns editados, tornaram-se uma máquina acutilante ao vivo. Os RASGO, por sua vez, editaram o primeiro disco «Ecos da Selva Urbana» em 2017, afirmando-se como um portento de thrash sem rodeios, vocalizado em português. No mesmo ano, estrearam-se ao vivo como banda de suporte no concerto dos SLAYER em Lisboa, atuando para um Coliseu dos Recreios que se rendeu ao talento do grupo criado por músicos com créditos já firmados em bandas como Tara Perdida e Trinta & Um.

No dia 22 de Janeiro deste ano, os fãs dos SLAYER foram surpreendidos com a notícia de que uma das maiores e mais importantes bandas de sempre do metal pretendia dar por encerrado o seu brilhante percurso. Tanto para o público, como para milhares de outros músicos, os SLAYER são (e serão sempre) um dos nomes mais emblemáticos do movimento thrash. Com lugar já garantido no panteão dos Big Four do estilo, os SLAYER decidiram embarcar numa tour de despedida quando ainda estão no topo da sua forma. É por isso natural que ninguém queira perder esta oportunidade de se despedir de um dos grupos mais venerados do metal e celebrar, pela última vez ao vivo, o enorme poderio de clássicos como «War Ensemble», «Raining Blood» ou «Angel Of Death».

Os LAMB OF GOD, banda liderada pelo icónico Randy Blythe, regressam por fim ao nosso país. Formado em Richmond, o quinteto lançou o álbum de estreia «New American Gospel» em 2000, afirmando-se como um dos nomes a ter em conta na revolução sónica que o underground norte-americano estava a sofrer na altura. Ao longo das últimas duas décadas os LAMB OF GOD estabeleceram-se como uma das mais bem sucedidas propostas da sua geração, contando hoje com sete álbuns de estúdio e mais de dois milhões de discos vendidos só nos Estados Unidos.

Os SLIPKNOT, a primeira banda confirmada no VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL, são os cabeças-de-cartaz do dia 4 de Julho. Precursores do nu-metal são um dos nomes mais icónicos e bem sucedidos da vaga que, na segunda metade da década de 90, tomou de assalto o cenário da música mais extrema. Originários de Des Moines, no centro-oeste norte-americano, os nove mascarados estabeleceram-se rapidamente como uma das propostas mais enigmáticas e provocadoras da era moderna da música, que viria a marcar toda uma geração, de público e de músicos. Ao longo das últimas duas décadas cresceram, transformaram-se num fenómeno de popularidade à escala mundial e extrapolaram todos os rótulos. Foram nomeados para dez Grammy Awards (vencendo o galardão em 2006 com «Before I Forget»), arrecadaram 13 discos de platina e 44 de ouro, e contam atualmente com 2,5 biliões de visualizações no YouTube. A sua base de seguidores é hoje tão firme como militante, sendo que o último álbum de estúdio «.5: The Gray Chapter», lançado há quatro anos, se estreou no Top 5 das tabelas de vendas oficiais num total de 19 países, incluindo os Estados Unidos (#1), Reino Unido (#2), Japão (#1), Austrália (#1), Alemanha (#2) e Rússia (#1). 2019 vai ser um ano muito especial para a banda, com um novo álbum na calha e o vigésimo aniversário do álbum de estreia homónimo.

Após um ano de interregno para reestruturação, 2019 será o ano da expansão do VOA – HEAVY ROCK FESTIVAL. Quando comemora dez anos de existência, o evento muda-se para o Estádio do Restelo, em Lisboa, nos dias 4 e 5 de Julho de 2019, para dois dias que prometem celebrar o verdadeiro espírito dos grandes concertos de rock e metal que têm marcado a história da música ao vivo em Portugal nas últimas décadas. Uma das catedrais dos grandes concertos é precisamente o Estádio do Restelo, a eterna casa d'Os Belenenses, que celebram, também em 2019, o seu primeiro centenário e acolhem o festival, no mesmo ano em que serão palco de outro grande evento, o concerto dos Metallica, a 1 de Maio.

Os bilhetes para o evento custam 75€ (passes) e 50€ (bilhete diário) já à venda nos locais habituais.

BILHETES

Portugal:
Ticletkine:
https://ticketline.sapo.pt/evento/voa-2019-heavy-rock-festival-38301

Blueticket:
https://www.blueticket.pt/Event/3973/VOA-2019-HEAVY-ROCK-FESTIVAL

Festicket:
https://www.festicket.com/pt/festivals/voa-heavy-rock-festival/2019/

Espanha:
Masqueticket:
https://www.masqueticket.com/entrada/509-voa-heavy-rock-festival-2019-en-lisboa-slipknot-slayer



You may also like the following events from Prime Artists:

Map Estádio do Restelo, Avenida do Restelo, 1400 Belém, Lisboa, Portugal, Amadora, Portugal
Report a problem

Are you going to this event?

Advertisement

More Events in Amadora

Explore More Events in Amadora